Live Dates 3

WISHBONE ASH - live dates 3 dvdQuando se pensa do ponto de vista histórico, é realmente engraçado dizer uma frase como “aprendi a gostar de rock com o meu pai”. O estereótipo do estilo como música jovem e rebelde é tão fortemente enraizado na nossa cultura que às vezes fica realmente difícil lembrar que ele já tem quase sessenta anos – o que talvez explique muito do marasmo pela qual o estilo passa ultimamente, embora ainda hajam boas bandas novas perdidas por aí. De qualquer forma, eu de fato sou um desses anacronismos contemporâneos que aprendeu a gostar de rock com o pai. É graças a ele e os seus vinis empoeirados de 30 anos que eu fui capaz de conhecer muitas bandas fantásticas – do Rush ao Lynyrd Skynyrd, passando pelos Allman Brothers e, o que me vem ao caso no momento, o Wishbone Ash.

Wishbone Ash foi uma das grandes bandas do rock progressivo inglês nos anos 70, tendo sido pioneira em muitos elementos musicais que apareceriam e se tornariam marcas em outras bandas mais tarde – o exemplo mais comum a ser citado é o duo de guitarras-solo, que acabou se tornando a sua principal marca, influenciando o Iron Maiden, o Def Lepard, e diversas outras de rock e metal posteriores. Mesmo assim, a própria banda jamais teve teve um reconhecimento de público comparável ao Pink Floyd, Yes ou outras da mesma época. Vendo este Live Dates 3, o DVD do show realizado em comemoração aos trinta anos do grupo, realizado em 2000, é difícil não se questionar o porquê.

Talvez nem tudo seja tão inexplicável assim, claro. Por melhores que sejam, é fácil entender porque músicas instrumentais cheias de experimentalismos, como Real Guitar Have Wings ou F*U*B*B*, jamais fariam sucesso no grande público – simplesmente não é o tipo de música que tocaria numa estação de rádio, por exemplo. Mas é só começar o set acústico para notar como há muita coisa interessante que em nada devem a grandes clássicos dos medalhões do gênero, vide aí baladas belíssimas como Errors of My Way e Ballad of the Beacon. Na área plugada, há riffs e solos marcantes e impressionantes, da base hipnotizante de Baby Come In From the Rain até o virtuosismo e os slides de Living Proof. Há ótimas jams de improvisações, como no blues Hard Times e na clássica Blowin’ Free, e mesmo alguns riffs mais contidos, mas nem por isso menos interessante, em Strange Affair. No fim, sobra espaço mesmo para os grandes épicos tão caros ao rock progressivo, mas aqui realizados com grande eficiência e noção de limite, como em The King Will Come ou Phoenix, esta considerada o clássico-mor do grupo.

Wishbone Ash, enfim, é uma ótima banda, que eu certamente recomendo. E este Live Dates 3 é também uma excelente comemoração e registro da sua obra, e um bom ponto de partida para começar a conhecê-la.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Sob um céu de blues...

Categorias

@bschlatter

  • No nível que anda a discussão, surpreende que não tenha tido piada sobre o Bonner ter um "boner" quando interrompeu a Dilma na entrevista... 8 hours ago
  • @metalgeisha ele tem metade da duração do jogo, de qualquer forma :P 8 hours ago
  • @metalgeisha procura o vídeo de introdução do Metal Gear Ground Zeroes, de preferência em HD. 8 hours ago
  • @metalgeisha o novo? A Fox Engine do Kojima é, tipo, foda. 8 hours ago
  • @synthzoid aí tem que fazer ele dando uma varinha de Raio Privatizador com 45 cargas pra Dilma. 8 hours ago

Estatísticas

  • 168,372 visitas

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: