O Muro

E então chegou ao muro da qual tantos haviam lhe falado. De um lado, o país afirmativo, onde tudo era sim, tudo era positivo; e do outro o negativo, onde tudo era negação. E entre eles aquele muro, erguido com dúvidas e devaneios existenciais, um por sobre o outro, até separar definitivamente o lado claro do lado escuro.

Ali não havia diferença entre gritos ou sussuros; nada era em vão – não havia raiva, razão. Havia um sentido em cada gesto, fosse um gesto positivo, de um lado, ou um negativo, do outro. Revoltas dandescas não teriam lugar enquanto os dois lados se mantivessem separados – mas que ninguém ousasse pôr aquele muro abaixo!

Era o que imaginava o viajante, enquanto observava aquela construção de operários acadêmicos. Observar as dúvidas do lado fora, refletia, era uma experiência reveladora para quem estava acostumado a perder-se tão intensamente entre elas. E então percebeu uma pequena rachadura num dos pontos do muro. Se aproximou, e tocou-a levemente.

Péssima idéia. Pouco a pouco ela começou a crescer, não demorando até atingir o topo do muro. Em poucos instantes não um, mas dois países estariam envoltos na maior crise de suas histórias, causada pelo entulho duvidoso remanescente da imensa construção – e tudo o que o viajante queria era não estar lá para levar a culpa. Então saiu rapidamente, despedindo-se dos países das certezas absolutas e voltando a procurar suas próprias dúvidas para perseguir.

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Sob um céu de blues...

Categorias

@bschlatter

  • Ele tá lá praticamente só pra levar patada da imprensa mesmo. E pelo menos nisso ele tem experiência. Desde 1990. 1 hour ago
  • Sinceridade? Não acho absolutamente nada do Dunga. Os problemas da seleção começam muito antes do técnico. 1 hour ago
  • Certeza que aquele atum era em conserva de supermercado. 14 hours ago
  • Tanto tempo comendo no Japesca, tinha esquecido como um sushi genérico de shopping pode ser ruim, pqp 14 hours ago
  • Nova edição do Dungeons & Dragons abraça a sexualidade e identidade de gênero. pinknews.co.uk/2014/07/20/new… 20 hours ago

Estatísticas

  • 167,458 visitas

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: