A Cigarra e A Formiga

Trabalhava a formiga durante o verão, enchendo-se de suprimentos para o inverno. Passava os dias colhendo pedaços de folhas, restos de comida, grãos de açúcar, e levando-os para o formigueiro, onde guardava tudo em um grande cofre.

A cigarra, enquanto isso, passava os dias se divertindo – cantava e dançava, voava livre entre as árvores e os arbustos. Era uma bela estação, e tão bem se sentia por estar nela!

Certo dia, enquanto voava, cantava e dançava, a cigarra encontrou a formiga carregando com dificuldades um pedaço de morango.

– Nossa, formiga! – disse então, sorrindo largamente. – Por que tanto trabalhas, quando poderias apenas cantar e dançar e se divertir?

– Ah, cigarra… – respondeu a formiga, o cansaço do trabalho audível na sua voz. – Como gostaria de fazê-lo! Mas logo chegará o inverno, e, se não trabalhar agora, não sobreviverei até o próximo verão.

– Pois para mim parece uma grande besteira se preocupar tanto com o inverno, enquanto o verão continua tão belo e encantador. – retrucou a cigarra, e em seguida alçou vôo em direção aos céus, retornando em um rasante rápido sobre o chão e gargalhando enquanto a formiga derrubava o grande pedaço de morango por causa da ventania que causara.

Mas passaram os dias, o verão se tornou outono e logo em seguida inverno, e a formiga se recolheu ao formigueiro, onde sobreviveria confortavelmente com os suprimentos recolhidos durante os dias quentes. A cigarra, entretanto, teve um destino diferente.

Enquanto vovava, cantava e dançava, já no começo do outono, foi descoberta por um empresário besouro, que lhe ofereceu um contrato milionário de trabalho no mundo do entretenimento. Nos meses seguintes viajou o mundo em grandes apresentações, tornando-se logo uma das mais conhecidas artistas do planeta. Gravou discos que venderam milhões de cópias; participou de filmes e peças de teatro; flertou com grandes astros; foi alvo de fotógrafos e revistas de fofocas; conheceu as drogas e a bebida. No fim do inverno, enfim, foi encontrada morta em um quarto de hotel, após uma overdose de cocaína.

A formiga, no entanto, nunca soube do ocorrido, pois, ainda no início da estação, foi aconselhada por um parente a investir a larga popupança que havia acumulado no mercado de imóveis. Com a ajuda de um especialista conseguiu triplicar sua fortuna no primeiro mês, mas, quando a bolha imobiliária estourou e o mercado financeiro entrou em crise, logo perdeu tudo o que tinha, e acabou os seus dias pedindo esmolas na saída de uma colméia de abelhas.

Moral da história: você perdeu tempo lendo esta história e não aprendeu qualquer lição edificante.

Anúncios

1 Response to “A Cigarra e A Formiga”


  1. 1 rafaela 27/06/2009 às 22:00

    é o tipo de história que deveria se encontrar nos livros do ensino fundamental.hahaha


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Sob um céu de blues...

Categorias

Arquivos

@bschlatter

Estatísticas

  • 197,719 visitas

%d blogueiros gostam disto: