A Pergunta

Após a longa escalada, o peregrino chegou, enfim, ao topo de montanha, onde um ermitão meditava em frente a uma cabana de madeira.

– Parabéns. – disse o ancião ao perceber o visitante. – Você venceu a montanha. Como prêmio, pode me fazer qualquer pergunta, e eu responderei.

O peregrino recuperou o fôlego, refletiu por alguns instantes, e perguntou:

– Considerando um elétron e um pósitron de massa m = 9,11 x 10-31 kg, cada qual com energia cinética de 1,20 MeV e mesma quantidade de movimento, colidindo entre si em sentidos opostos e se aniquilando para produzir dois fótons 1γ e 2γ, e considerando os dados: constante de Planck h = 6,63 x 10-34 J.s; velocidade da luz c = 3,00 x 108 m/s; 1 eV = 1,6 x 10-19 J; 1 femtometro = 1 fm = 1 x 10-15 m; quais são os respectivos valores de energia E e do comprimento de onda dos fótons?

O ermitão se virou para o peregrino, arregalando os olhos e abrindo a boca.

– Como?

– É uma questão de física que me atormenta desde o vestibular. Quer que eu repita?

– É isso mesmo que você quer saber?

– É.

– Tem certeza?

– Tenho.

– Não quer saber o sentido da vida? A razão da existência? Se Deus existe mesmo, ou como lidar com a morte do seu gato siamês?

O peregrino pensou por alguns alguns segundos.

– Não, eu quero saber a resposta desta questão mesmo.

– Ah, bem… – o ermitão fechou os olhos e suspirou profundamente. Abriu-os alguns instantes depois, e disse: – Não sei.

– Como assim, não sabe?

– Bem, todo mundo que vem aqui sempre me faz alguma pergunta filosófica sobre a vida e o universo, ou então pede conselhos pessoais. – virou-se para baixo, envergonhado. – Há décadas que desisti de estudar física.

– Quer dizer que eu tive todo o trabalho de subir essa montanha maldita, passei seis semanas dormindo em barracas desconfortáveis com cobertores frios e comendo carne de bode crua, perdi dois dedos do pé congelados, e quase morri pelo menos três vezes, pra nada?

– Sinto muito.

O peregrino xingou o velho com todos os impropérios que conhecia, então se virou e começou a descer a montanha.

1 Response to “A Pergunta”


  1. 1 Fagner Lima 02/06/2009 às 15:21

    Muito bom! Seus textos são ótimos!

    Mas a resposta, obviamente, é 42!

    Braços!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alteração )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alteração )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alteração )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alteração )

Conectando a %s




Sob um céu de blues...

Categorias

@bschlatter

  • Um futuro distópico em que toda tecnologia é movida pelo vídeo em CG tosco do Cebolinha dançando, o Cholapunk. 27 minutes ago
  • Ok, tive a ideia mais louca pro lefeu aqui, talvez seja louca demais pra ser oficial, na verdade :P 40 minutes ago
  • Dêem uma ideia de um monstro lefeu único foda aí. 42 minutes ago
  • "Não quero ir pra escola!" "Mas Bruno, tu é o professor..." (pensamento diário) 59 minutes ago
  • @JMTrevisan o que achei meio chato foi o The Order, que te engana que é um jogo de ação mas te obrigar a andar na velocidade das cenas. 1 hour ago

Estatísticas

  • 181,238 visitas

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 27 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: