Seleção Natural

À primeira vista, Jonas era uma pessoa absolutamente normal. Tinha duas pernas, cada uma com um joelho no meio e acabando em um pé com cinco dedos; dois braços com ombros, cotovelos e mãos; duas orelhas, dois olhos, uma boca, um nariz – enfim, tudo o que se esperaria de uma pessoa normal. Moreno, olhos escuros e estatura média, não era uma pessoa feia, mas também não era especialmente destacável de uma multidão. Fazia quase tudo que uma pessoa normal fazia: dormia, lia, via televisão, comia… Apenas nunca ia ao banheiro.

Não que Jonas fosse anti-higiênico, é claro. Usava o banheiro normalmente para escovar os dentes, tomar banho, e esse tipo de operação básica. No entanto, ele possuía uma leve mutação genética no DNA, que fazia com que seu metabolismo fosse mais eficiente em retirar energia do que consumia, sem desperdícios. Em outras palavras, por mais que comesse e bebesse, Jonas jamais precisava mijar ou cagar.

Esse pequeno detalhe foi uma boa vantagem em muitos momentos. Como nunca precisou sair da sala para ir ao banheiro, por exemplo, Jonas aproveitava melhor as aulas do colégio, e, ainda que não fosse um aluno especialmente brilhante, estava razoavelmente acima da média dos colegas. No cinema, em shows, em jogos de futebol, e outros eventos sociais, Jonas também, em geral, aproveitava o tempo melhor do que os outros. No entanto, o seu metabolismo peculiar logo se tornou um problema, especialmente quando, já um tanto mais velho, tentava arranjar uma namorada.

Sempre que conhecia uma uma garota, passava pela mesma rotina: se conheciam, saíam algumas vezes, passavam algumas noites juntos. Mas não demorava e ela percebia os estranho hábitos do rapaz – ou melhor, a estranha falta de certos hábitos -, e então bastava encontrar uma amiga para a mesma cena se repetir.

– O Jonas é um cara muito legal. – dizia ela. – Mas tem um pequeno problema.

– E o que é? – perguntava a amiga, curiosa como só amigas sabem ser.

– Bem… Eu nunca vi ele ir ao banheiro. Nem uma única vez, mesmo depois de uma feijoada, ou durante o maior dos porres.

– Isso é muito estranho mesmo. – e, após um instante de reflexão, – Acho melhor você largar ele.

– Pois é. – e não tardava em seguir a sugestão.

Era a mesma coisa com todas as mulheres que conhecia. Com o tempo, Jonas desistiu até de tentar, e se recolheu a uma velhice solitária e melancólica. Morreu sem filhos; seus genes mutantes nunca foram passados para as gerações seguintes, e a humanidade foi condenada a precisar de banheiros pelo resto da sua existência.

Anúncios

1 Response to “Seleção Natural”


  1. 1 ssinhaleite 08/09/2009 às 23:30

    Adorei! Mas fiquei com dó do Jonas..

    Adoraria não precisar usar o banheiro *.*

    Já pensou de quantos banheiros públicos eu me livraria, até porque, fazer xixi sendo mulher em banheiros públicos não é fácil…

    ai que vida..


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Sob um céu de blues...

Categorias

Arquivos

@bschlatter

Estatísticas

  • 197,719 visitas

%d blogueiros gostam disto: