O Caminhar

Caminhar é bom. Caminhar é fácil. Um pé depois do outro, e de novo, e de novo, e, com alguma sorte, se chega a algum lugar. Nem que seja só metaforicamente.

Dizem que o primeiro passo é o mais difícil. Não discordo: é o Passo da Coragem, assim, com maiúsculas mesmo. O segundo e o terceiro, e às vezes mais alguns depois, também são difíceis; são os Passos da Confiança. Depois a coisa vai naturalmente, um pé depois do outro, e de novo, e de novo, até chegar perto do fim. Mas o último passo, esse também é complicado: é o Passo do Arrependimento, com hesitação acumulada de todos os anteriores. Eventualmente, no entanto, se passa por ele também, e o caminhar termina.

E que tristeza, então! Saudades do movimento, do senso de objetivo; o caminhar, mesmo que em círculos, nos dava um sentido, e uma direção. Mas então acaba, e tudo volta à inércia do corpo parado. Que bom seria se caminhar pudesse ser o próprio objetivo! Estar sempre em movimento, em ponto morto, sempre em direção a algum lugar que é lugar nenhum…

Mas não: sempre há um ponto final, culminante, onde se encerram os passos acumulados com tanta vontade e determinação, e onde a força motriz do caminhar finalmente acaba e cede ao atrito e à resistência do ar.

A física é um saco.

Anúncios

0 Responses to “O Caminhar”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Sob um céu de blues...

Categorias

Arquivos

@bschlatter

Estatísticas

  • 198,255 visitas

%d blogueiros gostam disto: