Missão

A lua em minguante brilhava entre as estrelas, mas pouco iluminava o solo. À frente de um edifício sombrio protegido por cercas e câmeras de vigilância, dois homens vestindo ternos azuis e óculos escuros se enconstavam na parede, cada um de um dos lados de uma porta lateral. Um deles tinha na boca um cigarro, a fumaça saindo de sua ponta e se perdendo na escuridão, enquanto o outro falava algo que terminava em uma grande gargalhada.

De repente, uma explosão ecoou ao longe. Os dois se olharam assustados, sacando suas armas da cintura, e se colocaram em prontidão, examinando o ambiente em volta. Um deles se virou surpreso para o lado, tentando acompanhar uma sombra que se movia velozmente; antes que pudesse virar de novo seu peito já havia sido perfurado em um espirro de sangue por uma lâmina vibrante. O outro tentou reagir, mas era lento demais: antes de levantar completamente a arma seu braço já estava caído ao chão, separado do corpo com um golpe rápido. Gritou de dor e pavor, antes de ter o crânio perfurado pela mesma lâmina vibratória.

Caminhando entre os corpos, um grande homem com máscara e roupas negras se aproximou da porta. Colocou o rosto de lado junto à ela, buscando ouvir o que se passava atrás; abriu-a em um movimento rápido, atirando para dentro duas granadas que trazia presas à cintura, logo em seguida fechando a porta novamente em uma batida brusca. Ouviu a explosão, abriu a porta novamente e correu para dentro, entre fumaça e corpos cambaleantes. Correu entre tiros no escuro, perfurando e cortando corpos e membros que encontrava pelo caminho, e chegou até o elevador, entrando e deixando a porta se fechar atrás de si.

O elevador se abriu vários andares acima, sendo recebido com uma chuva de tiros disparados por homens de terno do lado de fora – mas estava vazio. Atônitos, os homens olharam para dentro, logo reparando que havia um buraco no teto. Foram então surpreendidos por um par de pés que desceu dali, acertando e derrubando aqueles que estavam à frente; o homem mascarado pulou para fora e saiu correndo, desviando de tiros e decepando mais membros no caminho.

Chegou até uma escadaria, e subiu correndo outro andar. Logo na saída esperavam por ele dois homens de terno, que tiveram os braços cortados e os corpos usados como escudo contra os tiros dos que estavam atrás deles. O homem mascarado pulou por entre eles, esquivando de tiros com cambalhotas e cortando membros e cabeças com sua espada vibratória. Por fim correu até uma porta do outro lado do andar, abrindo-a com um chute e fechando-a em seguida atrás de si.

Do outro lado da porta, um jovem em um balcão olhava assustado para ele. O homem então retirou a máscara, revelando os cabelos grisalhos, os olhos cansados e as rugas espalhadas por toda a extensão do rosto. Caminhou com calma até o balcão, olhando o rapaz nos olhos e dizendo com força e decisão:

– Vocês vendem discos de jazz?

– N-não… – gaguejou o jovem em resposta.

O velho deixou escapar um longo suspiro de decepção, e recolocou a máscara. Caminhou de volta até a porta e a abriu, rapidamente desaparecendo do outro lado em um vulto sombrio.

Anúncios

2 Responses to “Missão”


  1. 1 Rafaela 27/05/2010 às 19:40

    ele gosta de nina simone, miles davis e chet baker?

  2. 2 Bruno 27/05/2010 às 20:10

    Não, ele é mais cult que isso… Prefere Billie Holiday, Thelonious Monk e Django Reinhardt.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Sob um céu de blues...

Categorias

Arquivos

@bschlatter

Estatísticas

  • 198,293 visitas

%d blogueiros gostam disto: