O Beco

Escuro, úmido, frio – assim era o beco onde ele se encontrava. Não havia saídas por onde ir, portas dos fundos por onde entrar, nem mesmo guias a quem seguir; apenas a barreira sem cor nem solidez que o prendia, e no mais o vazio, infinito e interminável. O caminho de volta se desfazia no horizonte, deixando-o para trás, perdido e só, com a sacola vazia de truques aos quais recorrer. E em algum lugar ao longe se ouvia o som de um violão, vindo de onde algum outro ser solitário dedilhava notas dissonantes que se perdiam, também elas, em seus próprios becos escuros, úmidos e frios.

Anúncios

0 Responses to “O Beco”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Sob um céu de blues...

Categorias

Arquivos

@bschlatter

  • Faltou o Douglas canastra suja pra resolver esses pênaltis. 3 hours ago
  • O narrador tinha até esquecido como gritava gol. 3 hours ago
  • Sigo um Portaluppista dos Últimos Dias convicto, mas sejamos sinceros com nós mesmos. 4 hours ago
  • Desde o primeiro jogo que escalou reserva e desistiu do outro campeonato. 4 hours ago
  • Pode rolar qualquer coisa, o time que fizer um gol mata esse jogo. Mas o Renato bem tá merecendo esse resultado há uns seis meses. 4 hours ago

Estatísticas

  • 197,786 visitas

%d blogueiros gostam disto: