A Luz

Havia uma luz em algum lugar. Tinha que haver – sabia disso. Quase a podia ver… Apenas não via o lugar. Deveria ser por ali, perto do fim, e ele procurava como se sua vida dependesse daquele tesouro – muito mais dependia, na verdade, mas só sabia ser displiscente desta forma.

Revirando entre as pilhas de sombras daquele canto, quase pensou ver um pequeno brilho, mas não era nada; pensaria que era só a sua imaginação, se não a tivesse perdido em algum outro canto escuro, horas antes. Devia ser o sono, então. Ou o tédio. Esses, sim, estavam sempre com ele, ou ao menos naqueles momentos em que ele quase se achava capaz de encontrar a maldita luz.

Quase.

Anúncios

0 Responses to “A Luz”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Sob um céu de blues...

Categorias

Arquivos

@bschlatter

Estatísticas

  • 199,338 visitas

%d blogueiros gostam disto: