Pop Universitário

Então, dia desses, não perguntem o porquê, eu tava tentando lembrar como era aquela música do Luan Santana, o tal rei do sertanejo universitário. Essa aqui, ó:

 

Façam um esforço e tentem ouvir até o fim. Por algum motivo, a música que me vinha na cabeça quando eu tentava lembrar dela era essa aqui:

 

Fiquei um tanto intrigado pelo fato… Tipo, teoricamente eu estava tentando lembrar de uma música de um estilo derivado do sertanejo, mas o que me vinha na cabeça era um pop rock adolescente. Por que não lembrei de um sertanejo mais clássico? Algo tipo isso aqui:

 

Curioso, não? Ouçam as três canções e vejam quais vocês acham mais parecidas entre si. Acho bem provável que vocês tenham a mesma impressão que eu.

No fundo, acho que não faz diferença se é sertanejo universitário, pagode pós-graduando, funk de ensino médio… O que esses estilos todos são mesmo é música pop adolescente. Comparem bem: todos possuem as mesmas letras românticas cheias de lugares comuns, o mesmo ritmo agitado pra dançar nas festinhas de colégio… É algo como a versão nacional do Justin Bieber, digamos assim, apenas trocando as referências artísticas – ao invés do R&B e black music norte-americanos, a música brega/popular brasileira mesmo.

Não estou criticando o fato, é claro, até por ser um admirador confesso da nossa música brega de raiz. O que eu acho curioso mesmo é essa necessidade de criar rótulos, de dizer que uma coisa é tão diferente da outra. É uma necessidade muito mais comercial, na verdade – não tenho dúvidas de que o próprio rótulo “sertanejo universitário” tenha surgido de uma referência artística autêntica, de músicos que vieram a ser identificados com ele que de fato buscavam inspiração nas duplas sertanejas de raiz mais tradicionais; mas ele pegou mesmo foi pela propaganda e o marketing, de se anunciar como algo novo para o público jovem, livre do estigma de ser “música de velho.” E pouco importa se a música em si é apenas uma reciclagem da mesma coisa que tem sido feita nos últimos vinte anos da indústria fonográfica, senão mais.

Mas, enfim, quem é que liga realmente pra música esses dias, né?

Anúncios

4 Responses to “Pop Universitário”


  1. 1 Ana Carolina Silveira 17/10/2011 às 22:24

    Tudo o que vem a seguir é chute.
    O “sertanejo universitário” do Luan Santana já é a derivação da derivação da derivação.
    Provavelmente tudo começou no interior de São Paulo, com uma cultura mais sertaneja, e em barzinhos de estudantes universitários que… tocavam música sertaneja. Algo entre o sertanejo de raiz e o sertapop de um Leandro e Leonardo ou Zezé di Camargo e Luciano. Essa música começou a embalar as festas e atingiu em cheio um nicho que não é exatamente o do Luan Santana: jovens, homens e mulheres, universitários (ou não) naquela faixa entre os 18 e os 30.
    Não sei como é a cena musical de Porto Alegre. Sei como é a cena musical de Viçosa, que é um microcosmo em si, e cidade universitária – e lá, sertanejo universitário tem toda razão de ser, a expressão tem razão de ser. Curioso que duplas como Victor e Léo ou Cesar Menotti e Fabiano estouraram justamente por causa das festas universitárias do interior de Minas Gerais (e uma mãozinha do bom e velho jabazinho), ainda mais considerando que vários dos estudantes não são de lá. São de outras cidades e estados.
    O Luan Santana deriva do sertanejo, mas é outra coisa. É muito mais um produto, a la Justin Bieber mesmo, feito na medida para agradar adolescentes. Um menino bonitinho, músicas grudentas, show que é um espetáculo de dança e pirotecnia (música? quem liga). É muito mais um pop com raiz sertaneja do que qualquer outra coisa, talvez um Sandy e Júnior da nova geração. É muito mais um produto para pegar aquela menina interiorana de classes C e D e que é bastante efetivo no que se propõe.

    Mas nah, danem-se os rótulos… 😛

    • 2 Bruno 17/10/2011 às 22:29

      Então, foi mais ou menos o que eu disse mesmo. Tenho certeza que o rótulo deve ter surgido em um contexto mais autêntico, onde pelo menos o “sertanejo” no nome tenha algum sentido real. Mas logo que entra no mercado nacional já vira esse pop genérico pasteurizado mesmo, um Justin Bieber nacional…


  1. 1 Sertanejo Blues « Rodapé do Horizonte Trackback em 06/01/2012 às 19:38
  2. 2 Cowboys do Asfalto | Rodapé do Horizonte Trackback em 07/09/2015 às 21:26

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Sob um céu de blues...

Categorias

Arquivos

@bschlatter

Estatísticas

  • 199,338 visitas

%d blogueiros gostam disto: