Posts Tagged 'modernidade'

Modernidades (5)

Chega um aluno novo no colégio. Na hora do recreio, ele tenta se enturmar com os colegas, juntando-se a um grupinho de alunos que prontamente passam a interrogá-lo.

– E aí, que tipo de música tu ouve, cara?

– Bem, eu gosto de um som meio pesado, sabe? Tipo Led Zeppelin…

– Putz, Led Zeppelin! – espanta-se um dos colegas. – Isso é coisa que a minha vó ouve!

(Baseado em fatos reais).

Modernidades (4)

– Não acredito! Ele deu nome ao nosso filho em homenagem a um ex! – disse a mãe aos prantos para a melhor amiga.

Uma ex, tu quis dizer, né?

– Não, um ex mesmo. – enxugou as lágrimas como pôde. – O Renato.

Modernidades (3)

Ocupavam uma mesa pequena em um restaurante luxuoso, com luzes fracas simulando a iluminação de velas. Os olhos dele se esquivavam dos dela enquanto comiam, o rosto avermelhado e as mãos tremulantes ao segurar os talheres traindo a timidez que tentava esconder. Finalmente, antes da sobremesa, ele tomou coragem em um fôlego profundo, segurou firmemente as mãos dela, e olhou diretamente nos seus olhos.

– Paula. – disse.

– Sim.

– Você… Você quer… – tropeçava nas palavras, que pareciam não querer sair da sua garganta. – Quer colocar os nossos computadores em rede?

Os olhos dela se encheram de lágrimas e emoção.

– Sim! Sim! Mil vezes sim!

Então a puxou para perto, os olhos dela também afogados em lágrimas, e ambos trocaram o mais ardente beijo de suas vidas até então.

Haicai Urbano (3)

Céu azul
E nuvens brancas
Atrás das grades do edifício.

Modernidades (2)

– É claro que o Kyo é o melhor, cara, não tem nem comparação! – dizia com ares de especialista o garoto no meio da aula, os livros abertos nas páginas de exercícios, tentando não falar muito alto.

– Putz, tu não sabe o que tá falando! Ninguém vence o Iori! – o outro respondia, no mesmo tom. – Tu devia saber disso, depois da surra que tomou no sábado…

– Surra? Eu? Tu tá sonhando, cara.

– Mas vocês sabem mesmo que a melhor é a King. – o colega sentado à frente se virou para participar da conversa. – E a Blue Mary, ninguém bate as duas.

– Ah, tá. Era só o que faltava, um que joga com mulherzinha.

– Ué, não tenho culpa se eu gosto de mulher, cara.

– Mas… – se calou antes de completar a resposta, notando a aproximação do professor.

– Estou interrompendo alguma coisa?

– Não, professor. – os três responderam quase em uníssono.

– Hum. Melhor assim. – o professor se virou para voltar à própria mesa. – Até porque vocês deviam saber muito bem que o melhor é o Terry Bogard.

Haicai Urbano (2)

De trás das grades da janela,
Eu olho as belas flores
Que crescem no asfalto.

Príncipe

Tudo parecia perfeito: do sofrimento anterior, rodeada de perigos no fundo mais sombrio do poço da alma, até o resgate heróico quando tudo parecia perdido, trazendo-a de volta à luz da vida. E tudo levava àquele momento: o abraço apertado, o queixo roçando no cabelo, a tensão aliviada em um único cruzar de olhares. Nada mais daria errado; o mundo era perfeito, e nele só havia esperança.

Os segundos pareciam não passar, e talvez ambos preferrissem que não passasse. Mas ele a segurou pela cabeça, e, olhando profundamente nos seus olhos, disse:

– Tudo bem agora? Então vamos logo que o táxi tá esperando.


Sob um céu de blues...

Categorias

Arquivos

@bschlatter

Estatísticas

  • 217.993 visitas