Iniciativa 3D&T Alpha – Mácula

O tema da vez na Iniciativa 3D&T Alpha é vilania. A seguir, então, apresento algumas regras opcionais, com uma nova Característica que deve tentar os jogadores com o “lado negro” durante as campanhas: a Mácula. O material é livremente baseado nas regras para Mácula do RPG Mutantes & Malfeitores, que aparecem no livro Manual do Malfeitor, e também em um rascunho de regras sobre insanidade que eu apresentei tempos atrás no Multiply.

O Que é Mácula?
Mácula é um problema enfrentado pelo personagem, algum tipo de mal ou desvantagem a que ele está sujeito durante as aventuras, e que pode piorar progressivamente de acordo com as suas atitudes. Ao mesmo tempo em que o atrapalha, no entanto, ela também traz alguns benefícios, aumentando seus poderes e a capacidade de usá-los. Assim, ela é, geralmente, uma marca de cenários com um lado mais sombrio, onde os personagens estão constantemente sujeitos a serem corrompidos – pense em algo como o Lado Negro de Guerra nas Estrelas ou a corrupção do Um Anel em O Senhor dos Anéis, por exemplo.

A Mácula pode ter muitas origens, como psicológica, moral ou biológica, representando coisas diferentes em cenários ou campanhas diferentes. A seguir estão apenas alguns exemplos do que ela poderia ser.

Insanidade. A mais tradicional, pelo menos em RPGs. Ao lidar com criaturas e poderes maiores do que é capaz de compreender, o personagem força a sua mente ao extremo, deixando-a em pedaços no processo. Ao mesmo tempo em que destrói a sua sanidade, no entanto, a loucura pode trazer benefícios, ao permitir que você lide com poderes ainda maiores, e às vezes até mesmo use-os a seu favor.

Corrupção. O poder corrompe, e o poder absoluto corrompe absolutamente. Pode ser uma corrupção mundana, como o político que usa sua situação de poder para adquirir vantagens pessoais, ou sobrenatural, como o mago que se deixa controlar pelo próprio poder ou o já citado Lado Negro da Força. Serve também para a corrupção causada pela Tormenta em Arton, como descrito no suplemento para d20 Área de Tormenta.

Mutações. Mudanças biológicas, sejam naturais, geradas por engenharia genética ou causadas por radiação, nem sempre dão certo. Se por um lado podem lhe dar grandes poderes – vide todos aqueles super-heróis -, por outro podem trazer também problemas sérios, como aparência grotesca, doenças genéticas, distúrbios psicológicos, etc.

Maldições. Uma Mácula também pode ser causada por uma maldição lançada sobre o personagem ou um item amaldiçoado que ele carregue, que lhe concede alguns benefícios, canalizando a sua energia ou usando-o em combate e outras situações, mas, é claro, não sem algumas desvantagens.

Máculas Benignas. Apesar de geralmente representarem elementos negativos, e por isso estarem relacionadas a poderes maléficos, estas regras também podem ser usadas para representar poderes benignos e as habilidades por eles concedidos, através de desvantagens como Código de Honra, Devoção e Protegido Indefeso. Por exemplo, elas poderiam representar a fé de um clérigo ou paladino, que os torna pregadores fundamentalistas mas também lhes concede maiores poderes; a honra de um samurai ou cavaleiro, que restringe as suas ações mas lhe dá maior determinação quando necessário; ou ainda algum tipo de amor paterno/materno ou mesmo romântico, que lhe dá maior confiança devido à existência de alguém especial para você, como um filho ou namorada.

Adquirindo Mácula
A Mácula de um personagem será representada por uma nova Característica, cujo nome pode variar dependendo do que ela representa – Insanidade, Corrupção, Fé, Honra, etc. Genericamente, chamaremos ela de Mácula no restante do texto.

Normalmente, os personagens devem ser impedidos de adquirir pontos de Mácula na criação de personagem – ela deve ser adquirida apenas durante a campanha, na medida em que eles forem expostos a situações que podem causá-la. A exceção é para os pontos recebidos com algumas desvantagens, que, com autorização do mestre, podem ser usados para adquirir alguns tipos de Mácula. Por exemplo, um personagem poderia adquirir desvantagens do grupo Insanidades, e utilizar estes pontos para adquirir pontos em uma Característica Insanidade; ou então um samurai poderia utilizar seus pontos ganhos com Códigos de Honra para aumentar a sua Característica Honra. O custo, nesses casos, é normal – 1 ponto por ponto de Característica -, e as desvantagens usadas para isso contam normalmente no limite do personagem.

A principal forma de adquirir uma Mácula, em todo caso, é ser exposto a ela de alguma forma durante as aventuras. O método de exposição pode variar, dependendo da Mácula em questão – insanidade se adquire por eventos traumáticos ou que envolvam poderes maiores que a sua compreensão; corrupção pelo uso de poderes maiores do que o personagem pode controlar ou, às vezes, a simples promessa de possuí-los; mutações pela exposição à radiação ou participação em experimentos secretos de engenharia genética; etc. Qualquer que seja o caso, o mestre pode pedir ao jogador um teste de Resistência, com os modificadores que achar adequado, e, em caso de falha, o personagem irá adquirir um ou mais pontos de Mácula.

Um personagem também pode adquirir Mácula voluntariamente. Isso ocorre, geralmente, em situações de tensão, como em combates difíceis ou quando o uso de poderes muito grandes é necessário, quando o personagem é obrigado a se deixar levar pela sua Mácula para vencer. Nestes casos, pontos na Característica podem ser adquiridos ao custo de apenas 1 PE por ponto, que serão exatamente iguais aos pontos de Mácula normais, com os mesmos benefícios e desvantages e continuando a existir e fazer efeito após o seu uso inicial.

Experiência Maculada. Uma regra opcional para regular a aquisição de Mácula é através dos Pontos de Experiência Maculada (PEMs), recomendado principalmente para cenários onde ela é um elemento de tentação e corrupção constante, como em Guerra nas Estrelas, dando uma medida gradual da decadência moral do personagem.

Os PEMs funcionam basicamente como os PEs, mas de forma invertida – são dados pelo mestre não por boas ações e conquistas em jogo, mas por ações perversas, como matar um inimigo indefeso, arriscar a vida de inocentes ou preferir se unir ao mago maligno ao invés de impedi-lo de invadir o reino. De maneira geral, o mestre deve avisar ao jogador sempre que ele corre o risco de adquirir um ou mais PEMs, dando-lhe uma oportunidade de voltar atrás e mudar de idéia.

Um PEM também pode ser adquirido para se obter os benefícios de um PE sem precisar gastá-lo. Por exemplo, se estiver tendo dificuldades em um combate, e não possuir PEs para tentar reverter a situação, o jogador poderia conseguir um acerto crítico automático aceitando receber um PEM em troca. Assim, adquirir PEMs pode ser uma forma de “trapacear” no jogo. No entanto, isso vale apenas para os usos instantâneos dos PEs – coisas como acertos automáticos e poderes/magias surpreendentes, por exemplo; você não pode receber PEMs em troca de pontos de personagem, nem para adquirir itens mágicos de qualquer tipo.

Independente de como foram adquiridos, cada 10 PEMs compram para o personagem 1 ponto de Mácula, de forma semelhante aos PEs normais. Mas não é uma escolha do jogador – sempre que chegar a esse valor, os seus PEMs são automaticamente convertidos. Caso a sua Mácula esteja acima de 5, a quantidade de PEMs a ser acumulada também passa a ser maior, conforme as regras para Características sobre-heróicas.

Benefícios da Mácula
A Mácula certamente traz vantagens, ou não seria buscada por tantos vilões sedentos por poder. Estas vantagens são representadas pelo uso dos Pontos Maculados (PMCs), que são possuídos por personagens com pontos na Carcacterística em valor igual a Mx5, de forma semelhante aos PVs e PMs. Um personagem com Mácula 3, por exemplo, possuiria 15 PMCs. Você pode, é claro, e até deve, renomear os PMCs de acordo com o que a Mácula representa na sua campanha – Pontos Insanos (PIs), Pontos Corruptos (PCs), Pontos Honrados (PHs), etc.

O primeiro uso dos PMCs é o de substituir qualquer dano recebido ou gasto de energia pelo personagem. A qualquer momento em que perder PVs ou precisar gastar PMs, ele pode substituir qualquer quantidade deles pela mesma quantidade de PMCs, deixando suas partes mutantes absorverem o dano ou invocando a energia de poderes sombrios, por exemplo. Adquirir uma Mácula, assim, pode ser uma forma de resistir mais tempo em combate, ou de utilizar mais poderes especiais se for necessário.

PMCs também podem ser usados para aumentar o dano ou a defesa do personagem, quando aquele assassino insano ataca o adversário de forma frenética e descontrolada, ou o vilão corrompido é protegido pelas forças profanas com a qual pactua, por exemplo. Gastando 1 PMC, ele pode adicionar a sua Mácula atual a qualquer jogada de FA ou FD – ou seja, elas passarão a ser calculadas como F/A/PdF + H + M + 1d.

Além disso, um personagem pode ainda gastar 1 PMC para trocar qualquer atributo pela sua Mácula atual em um teste. Assim, um personagem corrompido poderia ser protegido pelas forças sombrias ao beber um veneno, trocando a sua Resistência pela Mácula no teste para evitá-lo; ou então um personagem mutante poderia usar a sua mutação para assustar um NPC, utilizando a Mácula no lugar da Habilidade no teste de Intimidação.

Da mesma forma, um personagem mago pode gastar 1 PMC para substituir a sua Habilidade pela Mácula na hora de calcular o seu limite de PMs gastos em um feitiço, que será igual a Mx5 ao invés de Hx5. Em alguns cenários, inclusive, esta pode ser a única forma de adquirir poderes mágicos – os feitiços serão sempre limitados pela Mácula, e não pela Habilidade, de forma que um personagem com M0 não pode conjurá-los. Isso é especialmente recomendado para certos cenários de terror sobrenatural, onde a magia é sombria e misteriosa, e representa, mais do que um poder, uma forma de corrupção.

Pontos Maculados são recuperados da mesma forma que Pontos de Magia, através de descanso, pontos de recuperação e alguns raros (e macabros) itens de cura. Um personagem também pode gastar 2 PEs a qualquer momento para recuperar todos os seus PMCs; e sempre há a possibilidade de aumentar a sua Mácula quando necessário, recebendo alguns PMCs a mais para gastar.

Poderes Sombrios. A critério do mestre, a Mácula também pode ser pré-requisito para obter certos poderes e habilidades especiais. No meu artigo sobre insanidade linkado anteriormente, por exemplo, apresentei alguns novos feitiços que requerem um valor mínimo de loucura para que o personagem seja capaz de lançá-los. Outros feitiços, especialmente os mais poderosos, também podem requerer algum nível de Mácula para serem utilizados, ou então ela pode ser necessária para o uso de itens mágicos ligados a poderes malignos, ou para receber bênçãos macabras de certas divindades.

Alternativamente, a Mácula também pode ser um limitador para tais poderes, impedindo o personagem de recebê-los. Isso pode ser interessante no caso de feitiços e itens especiais ligados a poderes e divindades benignas, que só podem ser utilizados por aqueles que forem puros de espírito.

Desvantagens da Mácula
Se a Mácula traz benefícios, não o faz sem algumas sérias contra-indicações. A insanidade destruirá a sua mente, a corrupção mudará a forma como os outros o vêem, mutações podem tomar formas grotescas e inesperadas – mesmo com os poderes concedidos, em geral ela trará problemas muito maiores, e é mais inteligente evitá-la sempre que possível.

Inicialmente, estes problemas são representados pela aquisição de desvantagens pelo personagem: qualquer ponto de Mácula adquirido durante a campanha, seja por exposição, voluntariamente ou acumulando PEMs, dá a ele o mesmo valor em pontos de desvantagens. Estas podem ser escolhidas pelo mestre ou pelo jogador, mas em geral devem pertencer a um mesmo tema, que depende da Mácula adquirida – insanidade, obviamente, é adquirida com desvantagens do grupo Insanidade; mutações geralmente virão com desvantagens mais físicas, como Monstruoso ou Modelo Especial, mas podem causar alguns problemas psicológicos também; a corrupção pode deixar o personagem Assombrado pela sua consciência, mexer com a sua sanidade (Insano: Megalomaníaco é especialmente comum), ou, em alguns casos, como a corrupção causada pela Tormenta ou outros poderes sobrenaturais, causar mudanças físicas; etc. Desvantagens adquiridas assim durante a campanha não contam no limite do personagem, nem concedem outros pontos além dos que vão para a Característica.

Além disso, um personagem maculado não está sempre no controle das suas ações, freqüentemente sucumbindo à sua Mácula e deixando-se levar por crises e tiques nervosos. Em determinadas situações, como em momentos muito tensos, quando está sob pressão ou quando tenta se relacionar com outro personagem que pode se impressionar com a sua situação, o mestre pode pedir ao jogador, antes de realizar uma determinada ação, fazer um teste de Mácula. Nesse caso, no entanto, ele deve falhar no teste para ser capaz de fazer o que quer: um sucesso significa o seu lado maculado se manifestou, impedindo-o de ser bem-sucedido – por exemplo, com a sua mutação assustando o taverneiro de quem o personagem tenta obter alguma informação, ou a insanidade causando uma crise de nervos que o impede de agir friamente. O jogador pode gastar 1 PE (ou receber 1 PEM) para superar a Mácula e não precisar fazer o teste, mas deve fazer isso antes de rolar os dados.

Perder o controle desta forma pode ser especialmente perigoso para personagens que lidam com magia. Sempre que o mestre por algum motivo pedir um teste de Mácula na hora de lançar uma magia, passar significa que a conjuração não apenas falhou, mas saiu totalmente do controle: ele gastará todos os PMs possíveis pela sua Mácula (ou seja, Mx5), aumentando o poder do feitiço ao máximo e, se ainda sobrar energia, lançando-o também contra alvos aleatórios dentro do seu alcance, tanto inimigos como aliados, escolhidos pelo mestre. Caso o total de PMs gastos seja menor que o custo da magia, por outro lado, ela terá o seu poder reduzido, ou, se isso não for possível, simplesmente falhará (mas os PMs serão gastos da mesma forma).

Limites da Mácula
Como uma Característica comum de 3D&T, a Mácula é adquirida de forma normal até atingir valor 5. Depois disso, é necessário adquirir mais pontos para avançar na Característica, conforme os custos descritos no Manual 3D&T Alpha – assim, entre 6 e 10 cada avanço requer 2 pontos, entre 11 e 15 são 3, entre 16 e 20 são 5, e acima de 20 são 10 pontos por avanço. Isso vale para a Mácula adquirida durante a campanha, por exposição, como a insanidade causada por criaturas impossíveis ou as mutações geradas por radiação, por exemplo; e também para a adquirida voluntariamente, aumentando a quantidade de PEs a ser gasta. O valor das desvantagens que ele deve adquirir por cada avanço também passa a ser maior, na mesma proporção.

Em geral, na maioria das campanhas que envolva algum tipo de Mácula deve existir também um valor máximo que um personagem é capaz de adquirir antes de perder completamente o controle sobre si. Um bom padrão para ter como base é 6, um ponto a mais que o limite normal da Característica – uma vez que chegue nesse nível, a loucura toma conta do personagem, a mutação o transforma em um monstro completo, a corrupção se torna irrecuperável, etc. Nestes casos, ele deve ser internado em um hospício, preso pelas autoridades competentes ou isolado da sociedade de alguma outra forma, se tornando um NPC e estando na prática como que morto para o resto do grupo, ou então se voltando contra os antigos companheiros e tornando-se um novo vilão a ser derrotado.

A critério do mestre, é claro, esse valor pode ser maior ou menor em alguns cenários e campanhas, ou então dependente de alguma outra característica do personagem, como nunca ultrapassar o seu valor de Resistência, por exemplo.

Curando a Mácula
Dependendo do cenário e da campanha, pode ser muito fácil adquirir uma Mácula. Perdê-la, no entanto, será bem mais difícil – mas nunca impossível. A insanidade sempre pode ser tratada em uma clínica, uma mutação pode ser revertida em laboratório, e mesmo uma alma corrompida pode ser recuperada com algum tipo de penitência.

De maneira geral, reduzir 1 ponto de Mácula requer o gasto de 10 PEs, representando tanto o esforço pessoal como outros recursos necessários (por exemplo, o dinheiro para pagar uma boa clínica psiquiátrica), e eliminando também desvantagens equivalentes concedidas pela Característica. Pontos acima de 5, no entanto, requerem mais esforço e recursos para serem diminuídos, seguindo os valores normais de Características sobre-heróicas. Dependendo do tipo de Mácula, o mestre também pode pedir, além do gasto de PEs, que algum outro requisito seja cumprido pelo personagem – por exemplo, que ele passe pelo menos um mês por ponto reduzido internado na clínica para curar a insanidade (o que pode passar sem sobressaltos, apenas como um corte de cena, ou então render algumas aventuras à parte na campanha), ou que realize alguma missão de penitência para expiar os crimes que o corromperam.

Com autorização do mestre, um jogador também pode gastar os PEs ganhos ao fim da aventura para diminuir os PEMs adquiridos durante ela, ao custo de 1 PE para cada PEM reduzido, representando o seu arrependimento e culpa pelos atos cometidos. No entanto, em alguns cenários pode ser mais adequado proibir que eles sejam perdidos desta forma: os crimes cometidos rondam e perturbam o personagem, e a Mácula causada por eles só pode ser perdida com uma missão de penitência séria e prolongada, seguindo as regras do parágrafo anterior.

Dependendo da disponibilidade da campanha, ainda, podem existir itens que reduzam a Mácula do personagem, como colares inibidores de mutações, remédios para tratamento de insanidade, etc. O custo, de maneira geral, é o mesmo de um item que aumente as Características do personagem: 10 PEs para um que diminua a sua Mácula em 1 ponto, 30 PEs para 2 pontos, 50 PEs para 3, etc. Estes itens nunca reduzem a Mácula permanentemente, no entanto – funcionam como itens mágicos comuns, que têm efeito apenas enquanto são usados pelo personagem, e podem ser perdidos ou roubados normalmente.

Outros Artigos Sobre Vilania
Crônicas de Arton – Novos Vilões
Defensor3 – A Ilha dos Condenados
Estalagem do Beholder Cego – Sulfure e Lefou
Non Plus RPG – O Gênio do Mal em 3D&T
Paragons – Doenças e Organizações
Taverna Passa-Mal – O Inquisidor

About these ads

3 Responses to “Iniciativa 3D&T Alpha – Mácula”


  1. 1 Rian "Razegash" Rodrigues 28/08/2010 às 13:32

    Gostei muito desse artigo, é perfeito para adaptações de Star Wars, Vampiro a Máscara ou outros jogos onde o mal é sempre presente.


  1. 1 RPG e Experiência « Rodapé do Horizonte Trackback em 07/12/2010 às 23:23
  2. 2 3D&T Lovepunk « Rodapé do Horizonte Trackback em 12/07/2011 às 00:20

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Sob um céu de blues...

Categorias

@bschlatter

  • Só estou tuitando para dizer que tá passando Família Dinossauro no Viva. De nada. 8 hours ago
  • @ldavet é, tem esse porém :P 9 hours ago
  • @ldavet esses dias tava jogando Legend of the Dragoon. E comprei Chrono Cross numa promoção, tenho que jogar (de novo, claro). 9 hours ago
  • @ldavet nossa, eu tenho comprado um monte de jogos clássicos na PSN :P 9 hours ago
  • @ldavet Tenchu é lindo. É tipo o Metal Gear de hipster, "before it was cool." :P 9 hours ago

Estatísticas

  • 168,884 visitas

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: